ABIC reune com os Grupos Parlamentares


Face à si­tu­a­ção atu­al da ci­ên­cia e dos bol­sei­ros, a ABIC pe­diu uma reu­nião com ca­rá­ter de ur­gên­cia ao Primeiro-Ministro e aos gru­pos par­la­men­ta­res. O Gabinete do Sr. Primeiro-Ministro en­ca­mi­nhou o nos­so pe­di­do pa­ra a tu­te­la e a ABIC reu­niu com o PCP, PSD (a 18 de de­zem­bro) e com o BE (a 19 de dezembro).

 

Relativamente ao fun­ci­o­na­men­to da Fundação pa­ra a Ciência e Tecnologia, a ABIC apre­sen­tou em to­das as reu­niões os pon­tos que ur­gem ser re­sol­vi­dos: a fal­ta de con­cur­sos pa­ra dou­to­ra­dos no ano de 2017; o fac­to de o Regulamento de Emprego Científico (REC) já ter si­do pu­bli­ca­do mas ne­nhum con­cur­so ter si­do aber­to; o atra­so na di­vul­ga­ção dos re­sul­ta­dos de Projetos I&D (que de­ve­ri­am ter si­do di­vul­ga­dos em Setembro de 2017); o atra­so no en­vio de con­tra­tos do con­cur­so de Bolsas Individuais. A ABIC deu ain­da a co­nhe­cer aos de­pu­ta­dos a for­ma in­qui­si­ti­va co­mo a FCT co­mu­ni­ca com os bol­sei­ros (no­me­a­da­men­te no que se re­fe­re às ques­tões re­la­ci­o­na­das com a exclusividade).

Sobre o DL 57/​2016, foi com mui­ta pre­o­cu­pa­ção que a ABIC re­la­tou as si­tu­a­ções la­men­tá­veis que a não apli­ca­ção do Decreto-Lei es­tá a ge­rar. De fac­to, mais de um ano de­pois, os bol­sei­ros con­ti­nu­am à es­pe­ra que se abra um con­cur­so, e mui­tos ter­mi­na­ram – e ter­mi­na­rão – as su­as bol­sas, sem que ha­ja aber­tu­ra dos con­cur­sos pre­vis­tos na Lei. 

Os di­fe­ren­tes gru­pos par­la­men­ta­res mos­tra­ram a sua so­li­da­ri­e­da­de pa­ra com os bol­sei­ros e con­si­de­ra­ram in­jus­ti­fi­cá­vel a não apli­ca­ção da lei, o fun­ci­o­na­men­to da FCT e o es­ta­do atu­al da ci­ên­cia e com­pro­me­te­ram-se a atuar.
 
Nessa mes­ma se­ma­na, no dia 21 foi dis­cu­ti­da em ple­ná­rio a pe­ti­ção da ABIC so­bre a atu­a­li­za­ção do va­lor das bol­sas. Foram  apre­sen­ta­dos três Projeto de Lei (PAN, PCP, BE) e um Projeto de Resolução (PAN) que con­tem­pla­vam a me­lho­ria dos ren­di­men­tos dos bol­sei­ros. Todos fo­ram chum­ba­dos, com ex­ce­ção de um pon­to do Projeto de Resolução que re­co­men­da a atu­a­li­za­ção anu­al do va­lor das bol­sas de in­ves­ti­ga­ção (Mais in­fo aqui: Resultado de vo­ta­ções). Ainda que os ou­tros gru­pos par­la­men­ta­res te­nham de­mons­tra­do que a atu­a­li­za­ção do va­lor das bol­sas é uma me­di­da jus­ta, não hou­ve von­ta­de po­lí­ti­ca de al­te­rar es­ta si­tu­a­ção e os bol­sei­ros vão en­trar no 16º ano con­se­cu­ti­vo sem aumentos. 
 
Num con­tex­to de re­po­si­ção de ren­di­men­tos, é ina­cei­tá­vel que os bol­sei­ros não ve­jam os seus ren­di­men­tos atu­a­li­za­dos. A ABIC con­ti­nu­a­rá a lu­tar pa­ra que ha­ja uma atu­a­li­za­ção ex­tra­or­di­ná­ria pa­ra com­pen­sar o po­der de com­pra per­di­do e es­pe­ra­mos que a atu­a­li­za­ção anu­al do va­lor das bol­sas se­ja já re­al em 2018 pa­ra to­dos os bolseiros.